Arroz Piamontese tradicional

Arroz Piamontese

Arroz Piamontese é ideal a ser servido com medalhão ao molho madeira e para os finais de semana. E não pense que é um prato italiano, ele é brasileiríssimo! Além de ser delicioso!!!

Tempo de Preparo : 30 min.
Rendimento: 4 porções

Ingredientes

  • 3 xícara (chá) de arroz
  • 6 xícaras (chá) de água
  • 500ml de leite
  • 200g de champignon
  • 3 cebolas médias
  • 2 colheres (sopa) de margarina com sal
  • 2 colheres (sopa) de amido de milho
  • 1 lata de creme de leite
  • 500g de queijo parmesão ralado

Modo de preparo

1 - Em uma panela, pique duas cebolas e refogue em 1 colher de margarina.

2 - Acrescente o arroz e a água e deixe cozinhar.

3 - Em uma outra panela, refogue a outra cebola no outra colher de margarina.

4 - Quando começar a dourar a cebola, acrescente o 400ml de leite.

5 - Pique ou fatie o champignon.

6 - Dissolva o amido de milho no restante do leite e acrescente ao refogado. Misture bem.

7 - Acrescente o creme de leite e o champignon.

8 - Misture bem até ficar ao ponto de creme e acrescente o arroz e o queijo ralado nessa mistura.

9 - Mexa bem e sirva em seguida.

Informações adicionais
Como já informei, este prato cai muito bem com Medalhão ao molho madeira.
Comentários: 0 CONTINUE LENDO

123

Receita: Medalhão ao molho madeira

0
Medalhão ao molho madeira

Que tal fazer um delicioso medalhão ao molho madeira? É rápido, fácil e ideal para o final de semana!
Deu água na boca? Então vamos aprender.

Tempo de Preparo: 30 min
Rendimento: 04 porções

Ingredientes

  • 4 medalhões de filé mignon
  • 4 dentes de alho
  • 4 fatias de bacon (opcional)
  • Óleo para besuntar
  • Sal e pimenta do reino a gosto

Molho

  • 100 g de cogumelos fatiados
  • 1/2 xícara (chá) de vinho madeira
  • 3/4 xícara (chá) de caldo de carne
  • 1 colher (sopa) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de salsinha picada

Modo de preparo

1 - Tempere os medalhões com sal. alho e a pimenta do reino.

2 - Contorne  com uma fatia de bacon cada medalhão e amarre com barbante para manter o formato e besunte com um pouco de óleo.

3 - Preaqueça o prato Crisp por 3 a 4 minutos na potência 10.

4 - Distribua os medalhões no prato Crisp e leve ao microondas por 10 a 15 minutos na função Crisp grill.

5 - Retire do forno, remova o barbante e reserve.

6 - Em um refratário pequeno, misture  o caldo de carne, o vinho madeira e a farinha de trigo, para o molho madeira.

7 - Leve ao microondas para engrossar por 3 a 4 minutos na potência 10.

8 - Mexa umas 3 vezes durante esse período de preparo para que o molho engrosse uniformemente.

9 - Retire do forno microondas e acrescente os cogumelos e a salsinha.

10 - Em uma travessa, acomode os medalhões e regue com o molho madeira

11 - Sirva em seguida


Informações adicionais
Ao acrescentar o bacon, o prato fica com muito mais saboroso.
Você poderá substituir o óleo por manteiga ou margarina para ficar ainda mais delicioso!

Beijinhos
Continue lendo este Post »

Creme caseiro para mãos ressecadas

0
Hidratante caseiro para mãos ressecadas

O mito de somente mulheres usarem cremes hidratantes, acabou! Que bom, não é? Afinal, existe inúmeros homens com as mãos ressecadas devido ao trabalho (mecânicos, cozinheiros, etc). Assim, como muitas profissões que não era "bem vista" para as mulheres.

Mas além das profissões, quem não sofre com mãos ressecadas no inverno? Acredito que quase todo mundo, não é? Mas comprar hidratantes comerciais, mesmo que os mais caros, muitas vezes, não é o suficiente. ─ Normalmente, compramos até mais de uma unidade para "tentar" suavizá-las, mas, as vezes, a pele das mãos parece ainda mais secas.

Há muitos anos, informações passadas por minha mãe, sei que os cuidados com as mãos vão além de hidratantes. Esses cuidados são seguidos, bem antes delas começarem a ressecar, por exemplo: Usar luvas para lavar a louça; ao mexer com produtos químicos (limpeza) ; aplicar protetor solar todos os dias, principalmente, quando saímos de casa; utilizar água fria ou invés de quente, entre outras coisinhas.

Agora, se você quer um maravilhoso creme caseiro para mãos ressecadas, ao invés comprar. Então veio ao local certo! Afinal, esse dá resultado mesmo! Além de custar pouco.


Creme caseiro para mãos ressecadas

Ingredientes
Esse ingredientes são encontrados facilmente em farmácias e/ou supermercados.

• 1/2 xícara de óleo de coco

• 1/2 xícara de cera de abelha

• 1 xícara de azeite de oliva

• 5 cápsulas de vitamina E (cerca de 1/2 colher de sopa)

• 20 gotas de óleo essencial de lavanda


Modo de preparar

• Misture o azeite, o óleo de coco e a cera de abelha em um recipiente de vidro grande, com cerca de 750 a 1 litro de capacidade.

• Coloque este recipiente em banho-maria (fogão). Espere derreter, principalmente, a cera de abelha e misture bem.  Cuidado para não deixar a água entrar em contato com os ingredientes.

• Deixe esfriar naturalmente (não coloque na geladeira), durante o processo de esfriamento, vá mexendo com vontade, a cada 10 minutos.

• Depois que esfriar, acrescente a vitamina E e o óleo essencial e misture tudo!

• Pronto! Creme caseiro para mãos ressecadas está feito.

• Agora, transfira este creme para o pote de vidro ou plástico e feche bem e guarde em local seco e ao abrigo da luz. E pode ser mantido fora da geladeira por 4 meses.


Uso

Esse creme pode ser usado a qualquer hora do dia. Mas, ao aplicar antes de dormir, use uma luva pode potencializar ainda mais o seu efeito. Assim como fizemos em creme milagroso para os pés e cotovelo, lembra?

Use protetor solar ao invés de cremes hidrantes ao sair ao sol. Fica a dica!

Beijinhos
Continue lendo este Post »

Dica de filme Netflix – O Preço do Amanhã

0
O Preço do Amanhã

O Preço do Amanhã (In Time) é uma ficção científica com crítica social e econômica. O diretor Andrew Niccol tem no currículo os memoráveis Gattaca e Show de Truman e no elenco temos os convincentes Justin Timberlake como Will Salas e Amanda Seyfried como Sylvia Weis. Destaque para o ótimo trabalho de Cillian Murphy como Raymond Leo que é o agente do tempo.

Uma espécie de detetive com cinquenta anos de experiência. Cillian entrega perfeitamente o personagem. Desde o olhar até o gestual nos dá a nítida impressão de estarmos vendo um experiente, inteligente e convencido detetive investigativo mesmo com a aparência de vinte e cinco anos do talentoso ator.

A trama de O Preço do Amanhã mostra um futuro distópico no qual a humanidade venceu a morte e todos os seres humanos param de envelhecer aos vinte e cinco anos. Nesse momento começa a contar um relógio regressivo que, se zerado, causa a morte. Assim, todos trabalham por tempo e não dinheiro. O relógio pode ser carregado com mais tempo e o tempo é a moeda corrente. As contas são pagas com tempo. Um café custa quatro minutos, por exemplo.

A analogia com nosso sistema atual está nas diferenças sociais. Enquanto os pobres estão sempre correndo e dormem pouco, pois tem pouco tempo, os ricos são calmos e lentos em seus atos, pois tem centenas de anos para gastar.

O Preço do Amanhã começa com uma introdução à situação do tempo que substitui o dinheiro e é mostrada a rotina de Will que vive com sua mãe Rachel Salas interpretada pela sempre impressionantemente linda Olivia Wilde. Preocupados em ganhar tempo para pagar o aluguel, ele acorda bem cedo pois não dorme muito e ela lhe dá quinze minutos para o almoço. É a mãe dando vinte reais para o lanche e a cena serve para vermos como se dá a troca de tempo entre as pessoas.

O dia de Will segue com a jornada de trabalho e a correria normal de quem não pode perder um minuto sequer. Vemos o que significa a expressão “tempo é dinheiro” da forma mais cruel quando uma personagem vai pegar o ônibus pois a caminhada leva duas horas e a passagem aumentou para duas horas e ela só tem uma hora e meia em seu relógio. Ela implora e o motorista diz: é melhor você começar a correr.

Seguindo a trama de O Preço do Amanhã, sem dar spoilers, Will vai conseguir dois séculos em seu relógio. Com todo esse tempo, ele pode sair do gueto onde vive e ir para a parte rica da cidade. É exatamente como um morador de uma favela da baixada indo para o Leblon. Nesse momento O Preço do Amanhã mostra a diferença entre os ricos e pobres. O comportamento apressado de Will deixa claro para todos que ele não pertence àquele lugar. Ele tem dificuldade em andar em vez de correr, por exemplo.

Em O Preço do Amanhã Sylvia Weis é o interesse amoroso de Will. Ela o observa de longe reparando em seus maneirismos desconhecidos para ela, que é muito rica e muito inocente em relação ao mundo. Ela nunca viu um pobre e fica intrigada e curiosa até o momento em que os dois se conhecem. Nessa hora ela está com um homem que joga pôquer com Will e este diz a ele: “você está intrigado sobre minha relação com ela (Sylvia), se ela é minha mãe, irmã, esposa ou filha. Ela é minha filha.”

O Preço do Amanhã tem ótimos momentos para abordar temas importantes. Tem o discurso interessante do rico com mais de cem anos que está cansado de viver e procura uma forma de morrer. Ele justifica seu desgosto pela vida pois ela não tem sentido – não tem propósito. Lamentavelmente esse tema não é devidamente explorado em O Preço do Amanhã.

Na relação entre Will e Sylvia entendemos as diferenças econômico-sociais de nossa realidade refletidas na revolta de Will para com o sistema e na incredulidade de Sylvia diante da realidade do gueto ao qual ela é apresentada. Ela tem uma praia nos fundos de sua casa, mas não entra no mar para não morrer afogada. Apesar de ter séculos em seu relógio ela é criada para não se arriscar nunca. Está sempre com seguranças e isso a faz questionar sua rotina. Ela anseia pela emoção do risco que é desconhecido para ela. Assim, de certa forma, ambos tem o que o outro quer. Ele vive cada dia sem a certeza do dia seguinte e ela tem todo o tempo do mundo e nada para fazer.

É impossível dissociar a realidade fictícia de O Preço do Amanhã da nossa realidade capitalista e consumista.

Tecnicamente falando, O Preço do Amanhã tem problemas de roteiro, sobretudo no terceiro ato. As atuações estão acima da média, exceto Cillian Murphy que está excepcional. A direção não alcança o nível de Gattaca, mas não chega a prejudicar a experiência. Fotografia distingue bem o gueto da cidade rica e trilha sonora está a contento. Não temos a abundância de cgi, costumeira em produções do gênero, o que é incomum e muito bem vindo.

O Preço do Amanhã é uma crítica ao nosso sistema consumista onde poucos ricos são sustentados por massas de pobres aos quais são negadas algumas condições básicas de sustento e qualidade de vida. Aborda conceitos filosóficos sobre o sentido da vida, inocência, tragédia, ignorância acerca do mundo, trabalho e recompensa e iniquidade humana.

O Preço do Amanhã é um filme que nos faz pensar sobre nós mesmos e nosso papel no mundo. Ótimo filme. Recomendo.

Continue lendo este Post »